Triglicérides: uma gordura diferente 0 849

O médico deu a notícia: será preciso controlar os níveis dos triglicérides. Você entendeu? O primeiro passo é fazer alguns ajustes na dieta

As gorduras são compostos muito diferentes entre si, o que torna difícil para o leigo entender o significado de cada uma delas. Em comum possuem a característica de serem insolúveis em meio aquoso como o sangue, necessitando se ligar a proteínas para serem transportadas na circulação. Esses transportadores de gorduras são as frações HDL, LDL e VLDL que são bem conhecidas das pessoas em geral por serem dosadas nos exames de sangue utilizados para avaliação do perfil lipídico. 

A primeira idéia a ser assimilada é a de que a fração HDL transporta uma fração do colesterol que é benéfica ao organismo, pois capta o colesterol das artérias e o leva de volta ao fígado, onde ele será processado e eliminado através da bile. A segunda fração carregadora de gorduras é o LDL, que transporta uma forma de colesterol muito perigoso, pois se acumula nas paredes das artérias, formando placas que podem causar a obstrução das mesmas.

Agora, falta entender o terceiro tipo de proteína transportadora de gordura: as VLDL. Elas carregam os triglicérides, um grupo heterogêneo de gorduras que corresponde a 98% da gordura total de nossa dieta, sendo compostos pelas gorduras saturadas, insaturadas, além das gorduras hidrogenadas. “Quando em excesso, os triglicérides se depositam em células chamadas adipócitos, sendo esse depósito maior, quanto maior for a ingestão dessas gorduras ou de seus precursores”, explica a endocrinologista Ellen Paiva, diretora do Citen, Centro Integrado de Terapia Nutricional.

Assim, os triglicérides representam a forma pela qual as gorduras são armazenadas em nosso organismo e constituem a nossa maior reserva de energia. Um homem de 70kg de constituição média, por exemplo,  possui cerca de 15kg de triglicérides depositados em seus adipócitos, o suficiente para suprir suas necessidades energéticas por até 12 semanas. “Os carboidratos como a glicose também podem ser armazenados e utilizados como fonte de energia imediata, tendo ainda algumas vantagens sobre os triglicérides para suprir as necessidades do corpo humano, mas essa fonte se esgota em pouco mais que 12 horas de jejum”, explica Ellen Paiva.

Fontes dos triglicérides

Uma característica marcante dos triglicérides é que eles podem se originar não somente da ingestão de gorduras, mas de qualquer fonte nutricional em excesso, ou seja, quando ingerimos carboidratos  em excesso, eles se transformam em triglicérides para serem armazenados. “Dessa forma, podemos entender que em todo quadro de obesidade, há aumento dos triglicérides armazenados, mesmo quando as dosagens sangüíneas são normais”, alerta a médica.

Dentre as gorduras, as fontes de triglicérides vão desde os óleos vegetais, incluindo o azeite, laticínios integrais como manteiga, iogurtes, queijos e requeijões a carne bovina e todo tipo de gordura animal. “Todos estes alimentos são compostos por misturas de variados tipos de triglicérides”, explica Ellen Paiva, que também é médica nutróloga.

Outra fonte importante de triglicérides são os carboidratos em geral e, a glicose, em especial. Ela faz parte da molécula dos triglicérides, uma vez que dá origem ao glicerol, um componente comum a todos os diferentes tipos de triglicérides. “Nesse sentido, podemos compreender a forte ligação dos triglicérides ao metabolismo dos diabéticos. O excesso de glicose no sangue acaba por acelerar a produção de triglicérides, sendo eles a principal alteração lipídica encontrada nos diabéticos, principalmente quando estão descompensados”, afirma Ellen Paiva.

Finalmente, um fator importante para a elevação dos triglicérides em nosso organismo é o consumo de bebidas alcoólicas. O etanol é fonte precursora da síntese de triglicérides principalmente em ingestões freqüentes, tornando-se um estímulo poderoso e persistente que pode levar a quadros de excesso de triglicérides.

O que o médico quis dizer

Quando dosamos o colesterol total, estamos avaliando vários tipos de gorduras no sangue, pois ele representa a somatória de todas elas, incluindo os triglicérides. Estaremos avaliando o bom colesterol ou  HDL, o mau colesterol ou LDL e os triglicérides que dão origem ao VLDL colesterol (VLDL = triglicérides ÷ 5). “Logo, quando temos colesterol total elevado, isso nem sempre significa que o nosso mau colesterol está elevado, pois, todas as vezes que os triglicérides sobem no sangue, eles influenciam a dosagem do colesterol total através da elevação do VLDL colesterol”, explica a endocrinologista Ellen Paiva.

“A dosagem sangüínea do triglicérides é um meio prático para avaliar o metabolismo das gorduras. O peso corporal dá a medita exata do excesso de nutrientes ingeridos e depositados sob a forma de triglicérides. Por isto, as consultas médicas periódicas são muito importantes”, informa Ellen. Para obtermos resultados laboratoriais confiáveis dos níveis basais de triglicéride é preciso estar pelo menos 12 horas em jejum e não ter ingerido bebidas alcoólicas há pelo menos 72 horas quando o sangue for coletado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas