Um espaço para brincar e aprender 0 518

A brinquedoteca não deve ser vista como um depósito, mas como um ambiente que estimule a criatividade e a autonomia das crianças

Como pensar em um espaço exclusivo para as crianças brincarem e desenvolverem tarefas escolares? O ambiente lúdico, que pode reunir jogos, brinquedos, gibis e livros, é a brinquedoteca, área onde os pequenos podem ir além da diversão. Contudo, o local não deve ser visto apenas como um simples depósito, mas como um espaço em que o público infantil possa desenvolver autonomia, criatividade, raciocínio, coordenação motora e convívio social.

Dessa forma, é fundamental que, antes de pensar em criar o ambiente, algumas considerações sejam feitas, como as funções da brinquedoteca e os tipos de brincadeiras que poderão ser desenvolvidas nela. Quem dá as dicas é a arquiteta Juliana Mara. “É necessário criar um espaço bastante lúdico, onde as crianças possam esquecer do mundo lá fora”.

A primeira coisa a ser pensada diz respeito ao local onde a brinquedoteca será instalada. “Não existe local ou dimensão mínima para um ambiente de lazer infantil. Um pequeno espaço dentro do quarto da criança pode ser muito bem aproveitado se tiver um layout apropriado”. Segundo ela, é possível criar ambientes alegres e ao mesmo tempo aconchegantes com o uso de brinquedos de playground, de jogos interativos e de peças que explorem personagens infantis.

Projeto da arquiteta Vivian Calissi

Segurança

É imprescindível que os pais pensem no layout, considerando que não deve existir mobiliários pontiagudos e materiais cortantes, a fim de preservar a segurança dos pequenos. Caso o espaço destinado à brinquedoteca seja reduzido, o ideal é utilizar móveis versáteis, como um pufe que se transforma em porta-brinquedos. “Uma boa dica é o uso de mobiliário com rodízio, que pode ser guardado facilmente em outros locais”

O piso não deve ser escorregadio. “O uso de materiais antiderrapantes, como o piso emborrachado, e o piso em vinil são ideais para um ambiente de brincadeiras”. Neste caso, os pisos de encaixe em E.V.A. são as dicas da arquiteta. Eles têm aplicação rápida e, por serem coloridos, transmitem a ideia do lúdico.

Cores

Juliana lembra que as cores mais indicadas para a pintura da brinquedoteca são aquelas que estimulam a imaginação infantil. “Tons vibrantes, como o vermelho, o verde, o azul, o amarelo e o laranja, alegram o ambiente”. Além disso, são permitidas pinturas divertidas e a aplicação de adesivos vinílicos. “Tudo com muita cor, é claro”. Há quem opte pelo uso de tecidos, mas a arquiteta alerta para a utilização de tecidos de fácil manutenção, como o couríssimo.

Um recurso muito usado quando se pensa em montar uma brinquedoteca é a setorização interna, ou seja, a demarcação de ambientes por meio do uso de cores diferentes. “Essa separação pode ser feita com tonalidades distintas, que podem ser aplicadas tanto no piso quanto nas paredes.” No caso do piso, a setorização pode ser feita com a disposição de tapetes. A demarcação de ambientes ajuda na identificação e na função dos espaços, como brincadeira, televisão, leitura etc. “Vale também dividir o ambiente com móveis e cercadinhos. Mas os cercadinhos são indicados só no caso de crianças menores.”

Iluminação

“Em ambientes construídos com a intenção de promover o estímulo a brincadeiras e à criatividade da criança, o ideal é utilizar iluminação com temperatura de cor fria”. Juliana sugere lâmpadas fluorescentes, como a T5 e as compactas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas

Video