Vitória e conquista 0 1410

Num universo em que brilha uma constelação de estrelas de máxima grandeza e do calibre de Sennas, Piquets, Fittipaldis, e da ala mais nova, Rubinho e Felipe Massa, só para citar apenas alguns nomes do automobilismo nacional, de projeção internacional, desponta outra estrela que brilha mais a cada temporada: Roberval Andrade, piloto que há 10 anos participa da Fórmula Truck, categoria que vem crescendo ano após ano, e que recebe a cada prova, um público que ultrapassa os 60 mil. “Este é, com certeza, o maior evento de público. Na última prova (disputada no dia 19/07 último, em Interlagos), tivemos 65 mil espectadores no autódromo”, comenta o piloto.

Com um sonho de menino feito realidade, o de ser piloto de provas, e ainda por cima ser o rei da pista de Interlagos, Roberval Andrade é fera na categoria que abraçou e não deixa nada a desejar a nomes que carregam a grife de sobrenomes famosos. “Sou o único da família no automobilismo, o que muito me honra. Meu exemplo é o Senna, ídolo que admiro muito, assim como o próprio Instituto que leva seu nome, dirigido por sua irmã, Viviane Senna. Admiro o lado piloto e o exemplo de superação que o Ayrton Senna nos deixou. Admiro, também, os projetos sociais com os quais ele sonhou e que tem se tornado realidade pelo Instituto Ayrton Senna”, comenta.

Ele sabe da enorme responsabilidade que tem em manter de pé o grande legado deixado pelo piloto Ayrton Senna. “Ele era aguerrido, ia em busca de seus ideais. Sou seu fã incondicional”, diz. Outros exemplos para Andrade são os também pilotos de Fórmula 1, Felipe Massa e Rubens Barrichello, que em sua opinião souberam preencher esse grande vazio deixado por Senna.

Sobre o Tatuapé, nosso herói da Fórmula Truck tem um apelo bem afetivo, pois é lá que mantém sua oficina, mora, e quando não está fora em temporada, convive com os amigos. “Este é um bairro muito caloroso. Quando cheguei do interior de São Paulo, fui muito bem acolhido aqui e conquistei uma grande amizade com as pessoas”, fala admirado. Afinal, num bairro que ultrapassa os 100 mil habitantes, ter a oportunidade de conhecer as pessoas e ser por elas reconhecido, seja nas ruas, em bares, restaurantes, ou em outros locais públicos, só mesmo num lugar como o Tatuapé, cosmopolita, mas que não perde o charme e as raízes de sua origem imigrante.

TEMPORADA 2009

Terceiro colocado na classificação geral da Fórmula Truck, e com o número 15 no macacão e na carroceria do caminhão, Roberval Andrade conseguiu saltar do sétimo para o terceiro lugar na classificação da temporada, com garra e destreza, e também com a sorte que o acompanha cada vez que se apresenta no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, local onde já havia vencido também em 2004 e 2006.

Nem mesmo a falta de patrocínio no início da temporada tirou o brilho do piloto, que alcançou com essa prova, sua 13ª vitória na categoria, e a 3ª em Interlagos.

Tal como fez na primeira das três vitórias que conquistou no autódromo paulista, em 2004, Andrade teve em seu caminhão Scania, uma menção ao Instituto Ayrton Senna, em homenagem à figura máxima do automobilismo brasileiro, o piloto Ayrton Senna, pelos 15 anos de sua morte, completados em maio último. “Essa parceria parece trazer magia, uma energia muito positiva. Para mim, é um momento indescritível”, declarou.

O Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck chega à metade da temporada (são 10 etapas ao todo), e promete trazer ainda muita emoção.

PAI HERÓI

Outra seara em que Roberval Andrade se destaca é na categoria pai, e de um menininho lindo chamado Victor, que para o piloto chegou como uma mágica em sua vida. “Ele aniversaria no mesmo dia do meu falecido pai (30/07). Chegou 25 anos depois de sua morte, temos uma proximidade muito grande, uma relação forte de amor. É muita responsabilidade e ao mesmo tempo, gratificante conhecer e vivenciar um sentimento fabuloso como esse”, comenta olhando para o filho, pequena réplica do pai, vestido com o mesmo macacão, tal como quando nos vestimos da fantasia de nosso super herói. Só que para Victor, seu pai é um herói real, de carne e osso, que pilota caminhões de verdade.

A sinergia entre pai e filho fica evidente durante a sessão de fotos realizada para essa reportagem. Bastava olhar para os dois, e eles se entreolharem, para tudo fluir com muita facilidade.

Para Roberval Andrade, essa é, com certeza, sua maior conquista: ser pai, poder amar seu filho, e por ele ser amado e admirado.

Como mensagem especial, Roberval Andrade apela para a nossa capacidade de sonhar: “todo brasileiro tem que sonhar, e ir em busca de seus objetivos, com foco, determinação, e muita responsabilidade”.

Para finalizar, o piloto revela o seu lema: “o impossível é algo que ainda vou realizar”.

A esposa Regiane e o filho Victor são peças fundamentais na carreira de Roberval

O QUE É A FÓRMULA TRUCK

A Fórmula Truck é, atualmente, a categoria mais popular do automobilismo brasileiro. Consiste em provas automobilísticas realizadas em caminhões modificados. A categoria ganha projeção a cada ano que passa, e os últimos passos mostram que o percentual de acerto é infinitamente maior do que o de erros, abrindo assim novos horizontes com a realização de uma etapa na Argentina e a entrada de mais uma marca de caminhão, MAN, para juntar-se às seis já existentes (Ford, Volvo, Scania, Volks, Mercedes, Iveco), e aos 24 pilotos, divididos em 14 equipes.

O treino classificatório que decide o grid de largada é realizado no sábado anterior à prova. Cada piloto pode dar uma volta de aquecimento, três cronometradas e mais uma de desaceleração. Se ele desistir da sua volta, tem direito a uma única tentativa no final do treino. O pole position (primeiro na classificação da largada) recebe um ponto adicional.

Na Fórmula Truck, o número de voltas de uma etapa varia entre 30 e 35, dependendo da extensão da pista e das condições do autódromo.

Apesar de os caminhões contarem com potência suficiente para passar dos 200 km/h, há na Fórmula Truck um limite de velocidade de 160 km/h para garantir melhor segurança. A fiscalização acontece com a ajuda de “radares” instalados em alguns pontos ao redor da pista.

O piloto Roberval Andrade, da equipe RVR Motorsport, corre de Scania, da fabricante sueca de caminhões instalada no Brasil desde 1957. Uma curiosidade: A primeira fábrica da empresa fora da Suécia foi construída no Brasil, no bairro paulistano do Ipiranga.

A proposta era atuar nesse mercado em desenvolvimento, oferecendo produtos com a mais moderna tecnologia. Na opinião de Roberval Andrade, “correr em Interlagos, a bordo de um Scania, é realizar um sonho a todo instante, em cada corrida”.

A Fórmula Truck é hoje considerada a maior categoria do continente na atualidade, e deu seus primeiros passos em 1987. Aqui no Brasil, o caminhoneiro santista Aurélio Batista Félix e o jornalista português Francisco Santos uniram forças para fazer, em Cascavel, a primeira corrida de pesados da história do automobilismo brasileiro, em setembro do mesmo ano.

RAIO X DO PILOTO

Roberval Andrade – Empresário do ramo de transportadora de madeira, é natural de Santo Anastácio, interior de São Paulo. Foi na Fórmula Truck que ele teve o primeiro contato com o automobilismo de competição. Já era nata sua paixão pela velocidade e corridas de automóveis, com algumas participações esporádicas em competições de arrancadas com motocicletas. Quando conheceu de perto a F-Truck sentiu a adrenalina a mil. Daí foi um passo rápido para iniciar sua carreira em 2000 correndo com um caminhão Volvo alugado em três etapas da temporada. Em 2001, passou a atuar com sua própria equipe, a RVR Motorsport, e desde então, sempre pilotou caminhões da marca Scania. Foi campeão brasileiro em 2002, vice em 2005 e 2007, terceiro na classificação final em 2001 e 2004 e quinto nos campeonatos de 2003 e 2006. Contabiliza 12 vitórias e 10 pole positions.

O piloto da RVR Motorsport conta ainda com os patrocínios das seguintes empresas: Knorr-Bremse, do Banco Pan-Americano, BorgWarner, Scania, Rodafuso, Guerra, Frum, Companhia Athletica, Tanesfil e Niju.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas