A arte do grotesco 0 1111

Liberdade, ousadia e versatilidade são os ingredientes da inspiração do artista plástico Vicente Conte, um dos fundadores do Ateliê Nobre Sucata

No fim do século XV, as ornamentações encontradas em escavações realizadas em grutas romanas, eram designadas “grotescco” ou “La grotescca”. Esses ornamentos de origem “bárbara”, que representavam seres híbridos, escandalizaram o gosto clássico dos críticos de arte, mas não impediu que o grotesco, ou seja, o excêntrico virasse moda.

Partindo do princípio de ateliês do século XVIII, inspirados na arte grotesca, em 2003, a artista plástica Cris Miura e os formandos da Escola Panamericana de Arte, Vicente Conte e Júlio Loureiro, fundaram o Ateliê Nobre Sucata, localizado na Mooca. “É muito comum os profissionais dessa área se perderem no começo da carreira. Encontramos aqui um ambiente agradável, onde falamos a mesma língua e, principalmente, um incentiva o trabalho do outro”, explica Conte.

Com diversas formações ao longo dos anos, além dos fundadores, atualmente, Márcio Caetano integra o GAPIS, Grupo dos Artistas Plásticos Independentes, do Ateliê Nobre Sucata. “Cada um tem um estilo diferenciado, mas sou o mais experimental, gosto de fazer tudo que causa estranheza e conscientiza sobre o caos da natureza, pois suspende as diferenças entre as espécies pela mistura do animalesco e do humano”, conta.

O trabalho de Conte recicla componentes inusitados como, cascos de árvore, televisões, pneus, cadeiras e portas
Instalação inspirada em Vinícius de Moraes, escritor e boêmio

Loureiro tem técnicas antigas, mas inspira-se em temas contemporâneos; Caetano é menos acadêmico, mas detalhista na projeção do desenho; Cris é a mais clássica e faz trabalhos mais decorativos. Em comum, todos trabalham com pintura contemporânea, misturando técnicas, temas e elementos diversos. Já, o trabalho de Conte recicla componentes inusitados como, cascos de árvore, televisões, rádios, pneus, cadeiras, portas e janelas. Para ele, depois da invenção da máquina fotográfica que, de certa forma, dispensa a pintura de paisagens, o conceito de arte mudou, ganhou muito mais liberdade, pela fuga da estética e dos padrões pré-conceituais.

Com esses suportes cria instalações utilizando-se de interferências com tinta e outros objetos que acabam criando uma conexão entre si. “De modo geral, não tenho um tema específico para inspiração e não gosto de explicar o sentido de muitas coisas que eu faço, pois acho interessante que cada um faça uma análise particular, assim sigo a linha do abstrato e do experimental”, acrescenta.

Conte trabalha também com pintura, explorando o expressionismo bruto. “Fiz alguns quadros na linha “Trindade”, os personagens centrais são três corpos conectados integralmente entre si. Nestes, já puxo para algo meio religioso, como soldados romanos, o coração de cristo, mas deixo sempre essa abertura para interpretação pessoal”.

O Ateliê Nobre Sucata é um local de reflexão, troca de idéias e experiências, produção artística e liberdade. O grupo abre as portas para outros artistas integrarem-se e além das vernissages, realiza exposições com trabalhos de outros profissionais. “Não importa o estilo e vertente, temos um espaço independente, sem fins lucrativos que visa somente a interação de indivíduos apaixonados por arte”, conclui Conte.

O espaço abre suas portas apenas quando são realizados eventos, no resto do tempo é usado como oficina de criação. Portanto, para conhecer o trabalho de Vicente Conte e do Ateliê Nobre Sucata, é necessário agendar um horário.

Vicente Conte
Tel.: 9939-8189
Ateliê Nobre Sucata
www.atelienobresucata.com
atelienobresucata@gmail.com 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas