Um olhar para os bebês à luz da abordagem Pikler 1 21880

No Berçário da PROBEN, os bebês são vistos como capazes e competentes desde o seu nascimento. Esse olhar cuidadoso é embasado nos conhecimentos trazidos pela Dra. Emmi Pikler, pediatra húngara, que apresenta uma riqueza de detalhes por meio da Abordagem Pikler, ao convidar educadores a rever conceitos e práticas já estruturadas no dia a dia, confiando nos bebês.

Uma rotina de cuidados, cheios de atenção, interesse e compreensão, nutre emocionalmente os bebês. Esta segurança afetiva é o que garante a tranquilidade para que ele possa explorar com autonomia o espaço onde está inserido e, assim, criar a oportunidade de traçar uma rica trajetória de aprendizagens e descobertas. E, com base nesses conceitos, a coordenadora do Berçário da PROBEN e Membro da Rede Pikler Brasil, Leandra Dib Teixeira, dá algumas dicas para que pais e familiares favoreçam a independência do bebê também em casa.

 A IMPORTÂNCIA DO “OLHO NO OLHO”

Pensando desta forma, a orientação para os cuidadores é convidar o bebê a participar ativamente das atividades, antecipando situações e, ao conversar com ele, olhar em seus olhos e explicar o que está fazendo, sempre de forma clara e simples. 

O BEBÊ COMO PROTAGONISTA

 Outro ponto importante é que olhemos para tudo aquilo que eles já sabem fazer. O convite aqui é que se deixe de fazer por eles e que se faça com eles. O grande protagonista é o bebê, cabendo ao adulto garantir o uso de roupas confortáveis e preparar o espaço para que ele possa brincar livremente e com segurança.

É importante que o bebê comece a explorar o chão, em uma superfície que seja firme, com materiais leves, que sejam fáceis de segurar e que tenham diferenças táteis, como tecidos de cores vivas e brinquedos que permitam o encaixe das mãos.

Nestas condições, o bebê consegue, por sua própria iniciativa, realizar movimentos bem equilibrados, como virar-se de barriga para baixo, rolar, rastejar, colocar-se em quatro apoios, sentar-se e ficar em pé.

 O BEBÊ É DEPENDENTE, MAS NÃO É PASSIVO

Uma dica muito importante é que os pais permitam que o bebê explore o objeto que escolheu para brincar. Quando eles brincam estão estudando e testando possibilidades. Por muitas vezes, o bebê procura pelo olhar dos pais como quem diz: eu não alcanço esse brinquedo, ou ainda, veja o que eu consigo fazer. Durante todo momento, o bebê realiza uma comunicação não verbal. Diante disso, é importante que os pais fiquem por perto para auxiliar, mas que o bebê assuma o protagonismo. Ele sabe que estamos ali e nos busca pelo olhar, e esse olhar precisa ser retribuído.

BEBÊS SÃO CIENTISTAS POR NATUREZA: PROVOQUE SITUAÇÕES

 Ao adquirir condições de se deslocar sozinho, as possibilidades do brincar se ampliam. O brincar é uma exploração, uma descoberta e investigação onde o bebê constrói as bases necessárias para o desenvolvimento da capacidade de pensar. É importante garantir a brincadeira com possibilidades de descoberta.

 “Como é diferente a imagem do mundo que uma criança recebe quando mãos silenciosas, pacientes, cuidadosas e ainda seguras e resolutas cuidam dela; e como parece ser diferente o mundo quando essas mãos são impacientes, rudes, apressadas, inquietas e nervosas.” Emmi Pikler

Proben: Rua Inspetor Mario Teixeira, 70 – Tatuapé, São Paulo
Telefone: (11) 2674-5356

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas

Video