Ser feliz ou ter razão?

Ser feliz ou ter razão?

COMPARTILHE

A frase que dá título a este texto circula pela internet e está presente em muitas “filosofias de vida”. Ela representa uma maneira de lidar com a vida. Aparentemente, uma boa maneira. Afinal, ter razão significa, muitas vezes, discutir e até brigar pela sua opinião.

shutterstock_201117332Toda a discórdia, conflitos e guerras, estão ligados à necessidade das pessoas terem razão e quererem prová-la a qualquer preço. Ter razão pode ser a satisfação de seu ego, defender e ver sua ideia sendo vencida. Pode ser até uma forma de orgulho ter a sua razão aceita.

Mas, infelizmente, é em função dessa razão que muitas relações se desfazem e por isso, surgiu a frase: ser feliz ou ter razão. Obviamente que nenhum ser humano – com índole, caráter e bom coração – quer viver em guerra com os outros. Não devemos buscar ter razão, mas sim argumentar pelo que acreditamos.

Também ser feliz não quer dizer deixar de discutir, falar, expressar nossa opinião. Ninguém é feliz reprimindo e suprimindo o que sente e pensa. Mas, ser feliz é outra coisa, é estar bem com você, com as pessoas, é ter tolerância, paciência e compaixão pelos outros. É ter a resiliência necessária para entender que, como diz outro dito popular: “tudo passa”.

Ser feliz não pode ser oposto de ter razão, ser feliz significa viver o que você é e o que você acredita. Ser feliz é amar as pessoas, fazer o bem, ir atrás do que te faz bem. Ser feliz tem que ser um ideal de vida. Ter razão dura apenas um momento, pois podemos mudar de opinião no momento seguinte.

Marilena Borges, Especialista em Psicologia Clínica e Consultora Organizacional.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO