Hora do Enem

Hora do Enem

Na reta final de preparação, confira algumas dicas para realizar a prova com tranquilidade e segurança

COMPARTILHE

shutterstock_208390225Depois dos longos meses de estudos, começa a contagem regressiva para o Enem, que acontece nos dias 8 e 9 de novembro. O momento é de rever as dúvidas finais e preparar o físico e o psicológico para encarar o grande dia. O principal desafio é controlar a ansiedade. “Enquanto muitos enfiam a cabeça nos livros, outros, supondo-se incapazes, simplesmente abandonam tudo. O nervosismo faz parte, mas é possível esquivar-se dele e evitar a insegurança. Não há motivo para desespero. Pense positivo e confie na sua preparação. Mas cuidado: o excesso de confiança pode induzir ao erro de acreditar que o teste é simples demais”, diz a gerente de conteúdo Alexsandra Bentemuller, da Universia Brasil.

Desde 2009, o Enem deixou de ser apenas uma prova para medir conhecimentos e vem ganhando grande importância. Além dos programas vinculados a ele, o exame funciona como parte do processo seletivo de centenas de universidades públicas e privadas. “Isso aumenta ainda mais a pressão sobre os alunos. Assim, é necessário encontrar uma maneira de lidar com a tensão”, pontua a consultora educacional Ana Paula Xavier, do FTD Sistema de Ensino.

A prova exige que o aluno esteja atualizado e use todo seu aprendizado de forma prática. Geralmente, as questões trazem bastante interpretação de textos, de charges, poemas e até de anúncios publicitários. “A grande verdade é que a prova tem suas características de cobrar fórmulas e regras aprendidas no Ensino Médio, mas também, e principalmente, exige um poder de reflexão e soluções. A avaliação propõe ao aluno se preparar com leituras diárias de jornais e revistas sobre os mais diversos temas. Assim, enquanto estuda, ele adquire um conhecimento e poder crítico para o decorrer de toda sua jornada”, afirma Alexsandra.

A redação é uma das partes mais importantes do Enem. Assim, é necessário ter conhecimentos prévios para embasar a escrita após a leitura dos textos motivadores. Como dicas, Alexsandra afirma: “Não repita palavras, fica cansativo e pouco criativo. Pense em sinônimos e sua redação ficará mais fluida. Se mudar de assunto, escreva em um parágrafo diferente. Isso fará com que o seu texto fique mais claro e conciso. Uma boa redação não é construída só com palavras, mas também com sinais de pontuação, como os pontos finais e vírgulas”.

Através dos editoriais, o aluno aprende como desenvolver uma dissertação. “É fundamental conhecer os temas antigos, a intenção da equipe avaliadora, os critérios de correção, além de ter ideia de quais serão os temas possíveis do Enem. Para 2014, temos: valores na educação familiar/Lei da Palmada; o papel da mulher na sociedade; a importância do voto consciente/Democracia; consumismo e produção de lixo; obesidade infantil x fome; dignidade humana – trabalho escravo e tráfico humano”, pontua Ana.

Consultar as provas anteriores é um recurso importante para entender como os avaliadores cobram o conteúdo. O conhecimento levará à calma e segurança para o dia em que realizarem o exame oficial. “No site da Universia Brasil, há um mapeamento histórico, ou seja, com todas as questões desde o primeiro Enem e, através disso, conseguimos apontar para os estudantes quais são os temas mais cobrados em cada matéria”, cita Alexsandra.

No momento final de estudos, as ferramentas online podem auxiliar na revisão dos conteúdos. No portal da Universia Brasil, há uma relação de 40 plataformas online com esse foco. Como dica, Ana recomenda o portal Geekie Games, de acesso gratuito. Baseado na metodologia TRI (Teoria de Resposta ao Item), a mesma usada no exame oficial, o sistema promove o diagnóstico do desempenho do estudante e indica os tópicos que ele apresenta mais dificuldade.

Às vésperas do Enem, é preciso revisar o conteúdo mas também relaxar
Às vésperas do Enem, é preciso revisar o conteúdo mas também relaxar

A grande problemática é o pouco tempo que o aluno dispõe para resolver cada questão. Em média, três minutos para cada uma. Assim, o candidato precisa inserir em sua rotina o hábito da leitura, interrompendo na medida em que se sinta desatento. Ler a pergunta antes da leitura do texto, para que sua atenção se volte ao foco principal, é outra boa dica. “É fundamental ler mais de uma vez para ter certeza que não deixou passar nada de importante. Muitas vezes a resposta está no próprio texto”, entende Alexsandra.

Como todo exame, existem questões de vários níveis de dificuldade. A dica é resolver primeiro as questões fáceis, depois as médias e só depois de tudo, encarar as difíceis. “Se identificar muita dificuldade em um item, pule para o próximo e só retorne depois de ter resolvido tudo. Não perca muito tempo em uma única questão, pois, além de ficar nervoso, pode jogar fora a possibilidade de acertar as mais fáceis”, entende Ana.

A parte dedicada às línguas pode ser respondida em inglês ou espanhol. As perguntas envolvem assuntos do cotidiano, utilizando-se de textos de diferentes gêneros. O foco, geralmente, é atualidades. Segundo Ana, “muitos optam pelo espanhol pela facilidade e proximidade com o português e acabam se dando mal. Assim, é importante que o candidato foque os estudos na disciplina que tem mais afinidade e já tenha a escolha definida anteriormente”.

Chegou a hora

Na semana que antecede o Enem, é preciso estabelecer algumas regras para que haja um equilíbrio entre todas as atividades. Descanso, concentração, boa alimentação, bem como, dormir oito horas por noite, são importantíssimos. Conhecer o local onde será a prova, preparar tudo que deve ser levado no dia do exame, além de acompanhar as notícias do mundo, também deve fazer parte da rotina. “Estudar não é mais prioridade, agora, o foco tem que ser cuidar do corpo e da mente para se preparar para o momento de estresse que virá”, conclui Ana.

Como a prova é muito longa, vale a pena, a cada 50 minutos, parar para alongar-se, comer e beber água, além de ir ao banheiro. As paradas devem ser rápidas, já que são muitas questões a responder. Alexsandra ainda alerta: “caso dê branco, respire fundo e tenha calma. Puxe o ar pelo nariz e solte-o, aos poucos, pela boca. Quanto mais calmo ficar, menos a ansiedade vai tomar conta e menos brancos acontecerão. Por outro lado, tente se manter concentrado”.

O que NÃO fazer no dia da prova:

(por Alexsandra Bentemuller, da Universia Brasil)

shutterstock_127943531– Estudar pela primeira vez – Se julgar necessário, faça apenas uma breve revisão;

– Levantar mais tarde – É melhor chegar com antecedência, para evitar a ansiedade. Além disso, não há tolerância com atrasos;

– Usar roupas desconfortáveis ou confortáveis demais – Roupas curtas ou apertadas demais atrapalham o foco durante a prova. Por outro lado, peças confortáveis demais podem produzir o efeito de relaxamento no cérebro e causar sono;

– Ignorar ou comer mal no café da manhã – É a refeição mais importante do dia, evita a fraqueza e aumenta o poder de concentração. Prefira alimentos saudáveis, para que você não se sinta pesado e sonolento;

– Praticar exercícios antes da prova – Atividades físicas são excelentes para a saúde e ajudam a aliviar o estresse. Porém, fazer isso minutos antes do teste não é uma boa ideia. Além de se sentir cansado, pode acabar sofrendo uma lesão;

– Ir para a prova após uma noite de festa – Não precisa passar a noite anterior com a cara nos livros, mas escolha programas mais leves, como jantar ou cinema;

– Ir para a prova após uma noite sem dormir – Nenhuma noite de estudos vai substituir os benefícios que o sono pode trazer. Ajuda a fixar conteúdos, além de recarregar as energias;

– Deixar o celular ligado – Não vale correr o risco de ter o exame anulado.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO