História e diversão

História e diversão

Há 80 quilômetros de São Paulo, a estação de Luis Carlos, em Guararema, é um passeio bucólico para toda a família.

COMPARTILHE

Inaugurada em 1914, a Estação de Luis Carlos, no município de Guararema, foi reinaurada em 2015 e é um passeio cheio de história para toda a família. O local, que ficou abandonado durante anos, foi revitalizado e se tornou um destino de lazer com restaurantes, lojas e uma bela paisagem para ser apreciada. É, também, o ponto de parada da Maria Fumaça que sai da estação de Guararema para passeios aos finais de semana.

As casas que rodeiam a estação começaram a ser construídas na década de 1920 e até hoje compõem um conjunto coeso. A Prefeitura de Guararema tombou 20 fachadas destas construções, por seu valor histórico e artístico. Uma restauração foi feita nos imóveis, que, hoje, abrigam os empreendimentos comerciais como cafeteria, sorveteria, bistrô, bar, creperia, entre outros.

a-073-GUR_10_8250_P a-073-GUR_11_3872_PA Igreja de São Lourenço, que também fica na vila, foi construída em 1906, com doações feitas por famílias tradicionais da região. É dedicada ao santo espanhol, também conhecido como Lourenço de Huesca ou Valência, que foi um dos sete primeiros diáconos da igreja católica no século 3 e é considerado um mártir por ter sido queimado vivo sobre um braseiro ardente, por cima de uma grelha, defendendo os cristãos.

Maria Fumaça

Partindo nos fins de semana da estação de Guararema, a Maria Fumaça faz um trajeto de 6,8 km até Luis Carlos, onde as pessoas podem descer do trem para conhecer o local antes de retornar ao ponto de partida.

O passeio é feito em uma locomotiva de origem americana, fabricada pela Baldwin Locomotive Works em 1927, e popularmente conhecida como Velha Senhora. Entre outros trabalhos, a locomotiva 353 era utilizada no trem conhecido como Cruzeiro do Sul, entre 1929 e 1945, quando locomotivas a diesel assumiram o Cruzeiro do Sul até 1950. A partir dos anos 50, a 353 puxou trens de passageiros secundários com carros de madeira, pequenos trens de carga e trens de serviço ou lastro até sua aposentadoria, nos anos 60.

Os três carros que formam a composição são de procedência inglesa. Um deles foi fabricado em 1896 pela firma Metropolitan Amolgd Car & Wagon Co. Os outros dois foram feitos em 1937 pela firma Birminghan Railway Car & Wagon Co. Foram adquiridos pela então SPR (São Paulo Railway) para uso nas linhas que se estendiam de Santos a Jundiaí, que passou a ser o nome da ferrovia após a encampação pelo governo brasileiro nos anos 1950 (E.F. Santos a Jundiaí).

A Estação de Luís Carlos tem esse nome em homenagem a Luís Carlos da Fonseca Monteiro de Barros (1880-1932). Nascido no Rio de Janeiro, o engenheiro civil e poeta mudou-se para São Paulo, onde foi servidor público da Estrada de Ferro Central do Brasil. Luís Carlos era Chefe do 2º Distrito de tráfego da Central do Brasil e foi ele quem autorizou a construção da estação, atendendo ao pedido dos imigrantes que povoavam a região e precisavam embarcar a produção da lavoura para o Rio de Janeiro e São Paulo. Além de engenheiro, Luís Carlos era talentoso com as letras, e aos 40 anos, lançou seu livro “Colunas” e mais três livros que o conduziram para a Cadeira 18 da Academia Brasileira de Letras em 1926.
A Estação de Luís Carlos tem esse nome em homenagem a Luís Carlos da Fonseca Monteiro de Barros (1880-1932). Nascido no Rio de Janeiro, o engenheiro civil e poeta mudou-se para São Paulo, onde foi servidor público da Estrada de Ferro Central do Brasil. Luís Carlos era Chefe do 2º Distrito de tráfego da Central do Brasil e foi ele quem autorizou a construção da estação, atendendo ao pedido dos imigrantes que povoavam a região e precisavam embarcar a produção da lavoura para o Rio de Janeiro e São Paulo. Além de engenheiro, Luís Carlos era talentoso com as letras, e aos 40 anos, lançou seu livro “Colunas” e mais três livros que o conduziram para a Cadeira 18 da Academia Brasileira de Letras em 1926.

Todos os três passaram por um processo de restauração total em 2012, quando foram levados para Guararema-SP.

O trem que parte da estação Guararema não é a única forma de se chegar a Luis Carlos. Também é possível ir de carro partindo de Guararema ou Mogi das Cruzes.

Serviço

Estação Luis Carlos – Estrada Municipal Argemiro de Souza Melo, 1.501, saída para Mogi das Cruzes. Horário de Funcionamento dos prédios públicos: sábados, domingos e feriados das 9h às 18h. Horário dos comércios: sábados, domingos e feriados das 9h às 20h (sujeito a alterações).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO