Amigos da dieta

Amigos da dieta

Conheça os alimentos que têm o poder de acelerar o metabolismo e turbinar o emagrecimento

COMPARTILHE

shutterstock_73797856

Entra ano, sai ano e a busca pelo corpo perfeito, que caiba no biquíni (ou sunga!), continua. Adotar uma dieta equilibrada, aliada a uma rotina de exercícios físicos, é, sem dúvida, a fórmula mais eficiente e segura. Ainda assim, há quem sofra para chegar ao resultado desejado. Mas a boa notícia é que os aliados para essa missão podem ter gosto e sabor. É isso mesmo, alguns alimentos com efeito termogênico podem dar aquela forcinha para eliminar os quilinhos a mais. Afinal, melhor do que comer algum alimento que não engorde é comer os que ajudam a emagrecer.

Poderosos queimadores de gordura, esses alimentos necessitam de maior queima de energia para serem digeridos e, por isso, chegam a ser responsáveis por cerca de 10% a 20% do gasto total de energia. É o que garante a nutricionista Luciane Romero, especialista em Nutrição Esportiva, da Unoeste. “Eles aceleram o metabolismo, aumentando a temperatura corporal e o consumo de calorias ao longo do dia, contribuindo para o emagrecimento”, diz.

Esse processo é o efeito da termogênese, uma resposta que o organismo desenvolve para manter a temperatura corporal constante, em torno de 36 °C a 36,5 °C. “Quando o organismo é submetido a variações de temperatura, seja frio ou quente, ele sofre alterações metabólicas para tentar adaptar-se, mantendo-se em equilíbrio”, explica Luciane.

Para incluir os termogênicos na rotina alimentar sem muito esforço o nutricionista Daniel Coimbra, especialista em nutrição e exercício físico, recomenda: “Temperos como a canela, podem ser acrescentados a preparações culinárias. Ao longo do dia, sugiro a ingestão de chá verde, café, chá preto ou chá mate”.

É importante frisar que o consumo desses alimentos não pode ser abusivo, pois isso pode levar a alterações metabólicas. A ingestão de alimentos termogênicos, apesar de serem naturais, deve ser equilibrada, pois o consumo abusivo pode causar efeitos colaterais, como batimentos cardíacos acelerados, ansiedade, insônia, sensação de azia, dor no estômago, náuseas, elevação da pressão arterial, aumento de sudorese e diurese, dor de cabeça e tontura, além de afetar o funcionamento da tireoide.

Segundo Coimbra, todos esses sintomas são evitados quando os alimentos são prescritos de maneira individualizada, respeitando as necessidades e particularidades de cada um. “Em geral, gestantes, lactantes, hipertensos e pessoas com problemas cardiovasculares, disfunções tireoidianas, ansiedade, gastrite ou refluxo, devem consultar um médico antes de utilizar qualquer tipo de substância termogênica”, pontua.

No entanto, não existe milagre. Os resultados vão variar de acordo com o tipo de alimentação, a rotina de exercícios e, principalmente, das respostas fisiológicas de cada indivíduo. “Os alimentos termogênicos serão mais eficientes se associados a esses fatores, pois o fracionamento alimentar e a atividade física podem também funcionar como agentes termogênicos na medida em que aumentam a velocidade do metabolismo e o consumo de oxigênio, derivando em uma maior oxidação de nutrientes, e consequentemente, maior gasto calórico”, diz Luciane.

Para pacientes que sofrem de insônia, Coimbra alerta que o consumo de alimentos ou suplementos termogênicos deve ser evitado após as 17 horas, por conta das características estimulantes que podem causar ansiedade e irritação, atrapalhando o sono. Se não houver restrição médica, ele afirma: “uma estratégia bastante eficaz é fracionar a ingestão desses alimentos ao longo do dia, dando ênfase ao pré-treino, para aumentar a oxidação de gorduras, e longe do horário do treino, para manter o gasto calórico elevado em outros momentos”.

Luciane revela que os alimentos termogênicos também são considerados alimentos funcionais, ou seja, contêm substâncias que, quando ingeridas, proporcionam benefícios, além do valor nutricional básico, auxiliando na prevenção de doenças ou melhora na saúde, com efeito antioxidante. Alguns, como a cafeína, ajudam na concentração, melhoram o estímulo da contração muscular, o que consequentemente aumenta a performance na hora do treino, além de gerar mais saciedade.

A seguir, Coimbra e Luciane explicam como alguns desses alimentos podem turbinar a dieta:

Consumir 3 g por dia pode aumentar em até 20% a atividade para o emagrecimento
Consumir 3 g por dia pode aumentar em até 20% a atividade para o emagrecimento

Pimenta: Principalmente as mais ardidas são ricas em capsaicina, substância que favorece o aumento da quebra de gorduras no tecido adiposo. Se ingerida na quantidade de 3 g por dia, em saladas e pratos quentes como tempero, pode aumentar em até 20% a atividade para o emagrecimento.

Chá verde: O efeito está atribuído ao seu alto teor de catequinas (polifenóis), substâncias que potencializam o efeito da noradrenalina, favorecendo a utilização da gordura corporal como fonte de energia. Para que o efeito aconteça, é necessário consumir de três a cinco xícaras de chá por dia, durante três meses.

Chá de hibisco: É rico em antioxidantes, fator importante para a proteção das células no organismo, atuando na mobilização de gordura. Também tem propriedades calmante, digestiva, laxante suave e diurética, que diminui a viscosidade do sangue. Deve ser feito por infusão, com a proporção de duas colheres (sopa) de hibisco seco para um litro de água.

Canela: além de aumentar o metabolismo basal, possui alto teor de cálcio mineral, substância importante para o emagrecimento. Tem ação estimulante e aumenta a temperatura do corpo. Uma a duas colheres (café), em frutas, sucos e outros alimentos, contribui com o emagrecimento.

Gengibre: graças a uma substância chamada de zinbigerina, essa raiz pode aumentar o gasto calórico em mais de 10%. Pode ser consumido de diversas formas: cru, em marinadas para temperar carnes, aves e peixes, sopas de legumes, chá, refogado, batido no liquidificador com frutas. Deve ser consumido três vezes ao dia.

Alimentos com ômega 3: Por ser anti-inflamatório, o ômega-3 aumenta o metabolismo basal, elimina o excesso de gordura, queimando mais calorias. Alimentos fontes: sardinha fresca, salmão, sementes de chia e linhaça, nozes e vegetais de folha verde escura.

Além de acelerar o metabolismo, a mostarda ajuda a promover a regularidade intestinal
Além de acelerar o metabolismo, a mostarda ajuda a promover a regularidade intestinal

Mostarda: contém curcumina, substância associada a um efeito termogênico. Também é rica em vitaminas do complexo B. Além de acelerar o metabolismo, ajuda a promover a regularidade intestinal e diminuir o colesterol. É preciso tomar cuidado com as versões acrescidas de muito sal e açúcar.

Café Preto: A cafeína mobiliza a gordura armazenada no corpo e leva-a para o sangue para ser usada como fonte de energia. Pode funcionar como supressor do apetite, causar um aumento temporário do metabolismo e da diurese. Se for tomado após as refeições também facilita a digestão. O ideal é de duas a três xícaras por dia.

Vinagre de maçã: O composto ativo do vinagre de maçã é o acido acético. Com características antioxidantes, ele aumenta a termogênese, fazendo com que o organismo gaste mais energia. Como se trata de uma bebida altamente ácida, a recomendação é diluir em água, sendo uma colher (chá) em 200 ml de água.

Água gelada: Pode acelerar o metabolismo, pois ao ingeri-la o organismo necessita igualar a temperatura da água à temperatura do organismo (cerca de 36 °C), fazendo com que o mesmo precise “gastar” mais energia. É ideal ingerir, no mínimo, oito copos por dia.

Guaraná em pó: Contém cafeína, que é estimulante do sistema nervoso central, favorecendo a aceleração do metabolismo. Pode ser utilizado em sucos, vitaminas, shakes ou em forma de cápsulas, até as 17 h, para não alterar o sono.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO