A céu aberto

A céu aberto

Audi A3 Cabriolet chega ao Brasil com motor 1.8 turbo e preço atraente

COMPARTILHE

Audi A3 Cabriolet 1.8 TFSI quattroA oferta de conversíveis no Brasil ganha um novo e forte integrante. A Audi se prepara para trazer a versão Cabriolet da linha média A3. O modelo chega com a linha 2015 da gama, que tem comercializado por aqui os modelos hatch, Sportback, sedã e S3 Sportback. O A3 Cabriolet até já aparece no site da marca, mas sem muitas informações sobre o modelo, que foi lançado recentemente na Europa.

O novo A3 Cabriolet vem equipado com uma capota de lona esticada sobre uma estrutura leve de magnésio e aço, que se integra perfeitamente ao desenho do automóvel. Basta pressionar uma tecla para que se abra ou feche, movimentada por um mecanismo eletro-hidráulica, em 18 segundos a uma velocidade de até 50 km/h. Quando aberta, ela fica guardada no porta-malas.

Ficha Técnica

Audi A3 Cabriolet 1.8 TFSI quattro Audi A3 Cabriolet 1.8 TFSIAudi A3 Cabriolet 1.8 TFSI quattroPotência máxima: 180 cv entre 5.100 e 6.200 rpm.
Aceleração de 0 a 100 km/h: 7,8 segundos.
Velocidade máxima: 242 km/h.
Torque máximo: 25,5 kgfm entre 1.250 e 5 mil rpm.
Pneus: 205/55 R16.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. ABS com EBD de série. .
Peso: 1.505 kg.
Capacidade do porta-malas: 320 litros.
Tanque de combustível: 50 litros.
Produção: Györ, Hungria.
Lançamento mundial: 2008.
Reestilização: 2013.
Lançamento no Brasil: Previsto para setembro de 2014.
Preço: 46.400 euros, cerca de R$ 141.074.

A capota de série é fina, sempre na cor preta e traz uma vigia de vidro integrada. Um outro tipo recebe uma espessa espuma que reduz o ruído interno e é oferecida em três cores, preto, cinza e marrom, com forro de teto em preto ou prata.

Em relação ao modelo anterior, novo Audi A3 Cabriolet cresceu de 4,24 metros para 4,42 m, no comprimento, de 2,58 m para 2,60 m no entre-eixos e de 1,77 m para 1,79 na largura. Já a altura, 1,41 m, foi reduzida em 1,5 cm. A capacidade do porta-malas também subiu 60 litros, passando a ter 320 litros – 287 com a capota aberta.

Audi A3 CabrioletNo continente europeu, o Audi A3 Cabriolet está disponível em três motorizações distintas. Duas são com os propulsores a gasolina TSFI de 1.4 e 1.8 litro, como os que equipam a gama no Brasil, e ainda um 2.0 TDI, turbodiesel, que desenvolve 163 cv. Ainda são aguardados um 1.6 TDI, também a diesel, de 110 cv, e o poderoso 2.0 TFSI, o mesmo da versão GTI do novo Volkswagen Golf, só que calibrado para 300 cv – no Golf tem 220 cv. Todos os motores contam com injeção direta, turbo e sistema stop-start. No Brasil, porém, inicialmente, apenas uma opção de motor estará à venda: a 1.8 litro a gasolina.

Nesta versão, o A3 Cabriolet sai de fábrica com o câmbio automatizado S tronic de sete velocidades. Nas configurações 1.4 TFSI e 2.0 TDI, a transmissão é manual de seis velocidades. A tração é dianteira ou, opcionalmente, integral. A Audi não se posicionou oficialmente, mas o preço no Brasil deve ficar em torno de R$ 160 mil. O que coloca o modelo alemão em confronto com o Peugeot 308 cc, que tem teto rígido retrátil e motor 1.6 THP de 165 cv.

Primeiras impressões

António de Sousa Pereira do Absolute-Motors.com/Portugal exclusivo no Brasil para Auto Press

Lisboa/Portugal – O habitáculo é igual ao dos outros A3, ou seja, um design minimalista, mas com requinte e qualidade de execução em patamar elevado. Comum também aos outros modelos da linha é a excelente posição de condução, graças à enorme amplitude de regulação dos bancos e do volante, que ainda contam com o bom posicionamento de todos os comandos secundários. Apesar do aumento no entre-eixos em relação à geração anterior, o espaço em comprimento para as pernas dos dois ocupantes do banco traseiro continua apertado, pouco indicado para longas distâncias. Ainda mais quando a capota está fechada, o que dificulta o acesso à parte de trás do carro.

A capota, mesmo com o opcional de isolamento acústico, emite alguns ruídos aerodinâmicos, principalmente em alta velocidade. O melhor mesmo é aproveitar para baixá-la – afinal, é esse o diferencial de um modelo cabrio. Em cidade, tudo rola de forma tranquila. Ainda que falte alguma fluidez aos pedais, é nas velocidades mais altas que o motor chega a parecer curto, em função das duas últimas relações serem demasiadamente longas. Mas o hatch descapotável se mostra o tempo todo com um excelente nível de conforto e rigidez torcional isenta de críticas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO