Mamãe, estou pronto para ir para a escola. Vamos? 0 4001

PROBEN inova mais uma vez ao levar os pais para dentro da escola e torna o período de adaptação das crianças um momento mais tranquilo, prazeroso e acolhedor

Começa um novo ano letivo e, para muitas crianças, 2018 se inicia trazendo um horizonte de possibilidades, afinal, elas vão para a escola pela primeira vez. E quanta expectativa que gera esse momento! Elas serão apresentadas a uma nova rotina, vão descobrir um espaço encantador e cheio de surpresas, irão se relacionar com novas pessoas, fazer amizades, aprender muitas coisas que vão se apaixonar. Terão a oportunidade de experimentar, seja novos materiais ou até novos sabores. E, sem dúvida, isso tudo é bom demais, mas é um desafio e tanto, principalmente por serem ainda tão pequenas.

Foi analisando tudo isso que a escola de educação infantil PROBEN chegou à conclusão que trazer os pais para dentro do ambiente escolar seria essencial para dar segurança aos pequenos e tornar esse período mais tranquilo e prazeroso. “Preparamos uma semana inteira para receber e acolher nossos novos alunos. Para eles e para nós, esse é um tempo importante e que merece respeito. Importante porque, para muitos, é o primeiro momento de separação da família, o que demanda cautela. Para nós, tempo de mostrar para as crianças que a escola é lugar de compartilhar momentos incríveis, sabedorias e muita diversão”, diz Virginia Tatarunas, coordenadora pedagógica do período da tarde.

Para muitas crianças é na escola que eles descobrem o significado de “trocar” e “dividir”

E assim foi feito. Os novos alunos chegaram ansiosos para o primeiro dia de aula. Na entrada, nada daquelas despedidas sofridas e choro de todos os lados, seja dos pais ou das crianças. Pelo contrário, pai, mãe e avós eram todos bem-vindos! Toda a escola foi envolvida nesse processo de adaptação das crianças, mas que na PROBEN, os profissionais preferem chamar de “acolhimento”. “Acolher é recepcionar, abraçar a causa, preocupar-se com o estar. Sendo assim, para nós, o período de adaptação é entendido como acolhida. As famílias fazem parte desse estar, desse tempo e desse ser. Pais e mães exercem papel de encorajadores e, por isso, foram convidados a viverem conosco esse período especial do ano: o início. Esses pais mostram aos pequenos que confiam na escola e por isso estão por perto. O resultado desse investimento? Tranquilidade, segurança e a certeza da escolha certa”, completa Virginia.

CRIAÇÃO DE VÍNCULO

Um outro diferencial do período de adaptação na PROBEN é que, em um primeiro momento, a escola recepciona apenas os novos alunos. A coordenadora pedagógica do período da manhã, Francine Sousa, explica que, a princípio, a criação de um vínculo entre a professora e a criança é essencial. “Sem vínculo não há aprendizado. A professora precisa olhar para essa criança com muita atenção e cuidado. Estabelecer com ela um contato inicial para depois conseguir organizar uma rotina escolar”, destaca.

Durante esse processo, os pais, dentro da escola, também podem ajudar muito. “A família traz muita segurança para a criança. Quando estão na sala de aula, os pais têm o papel de incentivar seus filhos a explorar. Assim, qual a leitura que fica para a criança? “Meus pais estão aqui e confiam nessa professora. Então, eu também confio”, explica Francine.

Hora de descobrir novas sensações, novos materiais e ver que tudo isso é muito bom

E SE O CHORO SURGIR?

Cada criança tem o seu tempo para se adaptar à escola. No momento em que os pais saem de cena, algumas crianças podem sim chorar, mas Francine garante que o choro não é um motivo para que os pais se desesperem e pensem em desistir. “Alguns pais acreditam que estão causando sofrimento ao seu filho. Os pais são a referência de vida, amor, carinho e estabilidade para seus filhos. Logo, o choro na separação é normal até que a criança perceba que a escola também é um ambiente que trará emoção, sentimentos bons, prazer e alegria, que as necessidades básicas delas serão satisfeitas. Quando o choro acontecer na escola, a criança ganhará um colo e carinho.”

E como os pais podem ajudar nesse processo? “É importante que haja regularidade. Então, não é porque a criança chorou em casa que os pais não vão levar para a escola. E ainda, uma vez que a professora convidou a criança a entrar, a recebeu e a pegou no colo, jamais tire-a do colo da professora. Esse é o maior pecado que os pais podem cometer. O outro é quando choram mais do que a criança. Pais seguros, filhos seguros”, finaliza Francine.

Valentina dispensou a mamãe já no segundo dia de adaptação e se divertiu ao dar comida para o coelho ao lado da professora Marina

E o que as famílias acharam desta novidade? Elas foram unânimes em dizer: aprovado!

Diana curtiu muito poder estar ao lado do Bruci no primeiro contato dele com a escola

“Estou me sentindo muito mais segura em poder estar ao lado do meu filho (Bruci, de 1 ano e 6 meses). Nos meus planos não estava colocá-lo na escola tão cedo, mas ao conhecer a PROBEN fiquei encantada com o ambiente, a estrutura da escola, os animais e a mini-cidade. Nos divertimos muito juntos em casa, mas sentia a necessidade de uma brincadeira mais dirigida e do convívio com outras crianças. Quando a professora me apresentou a programação, gostei muito da variedade de atividades que ele terá ao longo do dia e não ficará só dentro de uma sala de aula. O fato de a PROBEN ser somente Educação Infantil, me traz mais tranquilidade também.
Ficar ao lado dele nesses dias de adaptação é uma oportunidade para vivenciarmos as atividades juntos e vejo o quanto ele está feliz. Agora tenho a certeza que ele ficará bem. E eu também, afinal, me dedico a ele desde quando nasceu. Agora terei as tardes para almoçar tranquila, tomar banho, me exercitar, cuidar das coisas da casa.” Mamãe Diana

Any fala apenas chinês, mas a mamãe Geovana acredita que ela não terá dificuldade em se socializar por ser muito simpática

“A Any (aluna do Maternal, 3 anos) fala apenas chinês. Como não falamos o português nem em casa, então ela compreende poucas palavras. Foi bom ficar com ela nesses primeiros dias porque vi que ela não terá dificuldades em se adaptar. Ela é muito simpática e está adorando a escola.” Mamãe Geovana

A professora Andrea recebe Mariah e Any, suas novas alunas
Mariah logo esqueceu da mamãe quando começou a atividade de colagem

“Me sinto mais tranquila ao vivenciar um pouco o dia-a-dia da Mariah (3 anos). Ela precisava ter mais contato com crianças da idade dela. Vendo como ela participa das atividades tenho a certeza de que está gostando e ficará bem. Agora consigo começar a pensar até em voltar a trabalhar.” Mamãe Flávia

Felipe adorou alimentar o coelho na sua primeira semana na escola

“O Felipe (2 anos) ficou muito feliz em saber que iria para a escola. Hoje, após o almoço, até colocou os brinquedos de lado (coisa que ele não faz), porque já sabia que iria para a escola. Percebo que ele ainda tem receio da nossa separação, mas como estou tendo a oportunidade de ficar ao lado dele, vejo que está mais à vontade para explorar os espaços. Gosto muito desta fase. Eles já conseguem falar e com isso consigo participar mais desse momento com ele. Tenho um outro filho na PROBEN, que hoje está no Jardim II, e gosto muito de como ocorre o aprendizado aqui. Eles ensinam brincando; são atividades lúdicas e com isso ele já está até escrevendo o nome dele.” Mamãe Vanessa

Com sorrisos e muitas novidades, a professora Ellen certamente conquistou o Arthur

“Que delícia ver que o Arthur já está super adaptado. Hoje eu disse que iríamos para a escola e ele correu para pegar o uniforme. Adorei a maneira como a PROBEN nos acolheu. Sei que estou passando segurança para o meu filho e ao mesmo tempo me sinto segura ao ver como os professores cativam as crianças e as estimulam a conhecer os ambientes. Vejo que ele vai aproveitar muito.” Mamãe Camila

Julia ficou fascinada com a oportunidade de conhecer e brincar com outras crianças

“Está sendo maravilhoso descobrir a escola ao lado da minha filha (Julia). No primeiro dia de aula, eu tive que ficar uma hora a mais porque ela não queria ir embora. Ficamos explorando os espaços externos e vendo os animais. Quando chegamos hoje, eu demorei para entrar na sala de aula porque ela conversou com todos. Ela é muito comunicativa. Por mim eu já teria colocado a Julia na escola bem antes, mas ela nasceu prematura e o pediatra só liberou agora. Então vim conhecer a PROBEN e logo quando entrei tive a certeza de que seria o lugar certo para ela. A Julia veio comigo e ficou encantada também. Ela está gostando muito do contato com as outras crianças. Está feliz. Vejo que a adaptação será tranquila, pelo menos para ela. Acho que levarei mais tempo para me adaptar. Ficamos muito próximas neste tempo todo juntas. Mas já consegui voltar a trabalhar e estou segura que dará tudo certo.” Mamãe Tatiana

A mamãe Liliane se esbaldou na piscina de bolinha ao lado da sua filha Larissa e destacou: “Não imaginava que o período de adaptação seria tão maravilhoso”

“Acho muito importante estar ao lado da minha filha (Larissa) nesse momento. Sei que quando eu sair de cena ela já estará familiarizada com a professora, com a escola e com as outras crianças. Ela veio de uma outra escola que os pais não podiam acompanhar a adaptação e eu ficava desesperada. Ela chorava dentro da escola e eu lá fora. Foram três meses muito difíceis. Ela chegou até a ficar doente e precisou ser internada. Imaginava que seria o melhor para ela, mas estava sendo à custa de muito sofrimento. Agora estou vendo que não precisava ser daquela maneira, mas demorei muito para aprender. Esse processo de adaptação da PROBEN é maravilhoso. Eu não sabia que existia uma escola que permitia que os pais acompanhassem esse processo, porque se eu soubesse nunca teria feito o que fiz com minha filha que, na época, não tinha nem dois anos. Pensei que seria mais fácil se estudasse em uma escola que já tivesse o ensino médio e fundamental, mas me enganei, porque em cada fase há uma necessidade e o que ela precisa hoje está aqui.” Mamãe Liliane

Benjamin queria curtir a escola ao lado dos pais Enrique e Rita, mas tentava driblar o sono, pois costumava dormir em suas tardes em casa

“Optamos em colocar o Benjamim (2 anos) no horário da tarde, mas esse é um horário que ele costuma dormir quando esta em casa. Estamos vendo que teremos que ter uma nova rotina para que ele possa aproveitar mais o tempo que está na escola. Nosso papel aqui é essencial porque ele a todo momento sente a necessidade do nosso colo, até por estar com sono, ao mesmo tempo que quer participar das brincadeiras. E podemos incentivá-lo a fazer isso. Nem posso imaginar como seria se tivéssemos que fazer uma separação brusca. Ficamos mais tranquilos em ser dessa maneira.” Mamãe Rita e Papai Enrique

Luciana descobre que Theo irá se adaptar à distância mais fácil que ela, mas fica feliz por vê-lo crescendo

“No primeiro dia, o Theo (1 ano e 7 meses) procurou muito pelo meu colo. Mas já no segundo dia, percebi que já estava mais entrosado. Ele é bem sociável. Vai ficar bem. Para a mãe, ou mais especificamente para mim, é um momento complicado. Ele está se desapegando mais fácil que eu, então percebo que ele não precisa mais 100% de mim. Começo a perceber que ele está crescendo. Acho importante ficar ao lado dele porque é tudo muito novo. Aos poucos ele vai se habituando e se sente seguro em me ver por perto.” Mamãe Luciana

Silvia ajuda Rafaella no desafio de usar um novo copo e curte muito a novidade

“Eu sabia que a Rafaella ficaria bem porque vejo que é bem independente. Mas gostei de ficar aqui para ver qual a dinâmica da sala de aula. Mudamos há pouco tempo para a região e estamos nos adaptando ao bairro e agora à escola. Aqui ela terá a oportunidade de ter contato com outras crianças e se socializar. Tenho certeza de que quando eu sair ela ficará bem.” Mamãe Silvia

Rafaella se conforta no colo da mamãe Silvia, que lhe passa segurança para seguir em frente

Proben: Rua Inspetor Mario Teixeira, 70 – Tatuapé, São Paulo
Telefone: (11) 2674-5356

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas