Exemplo de empreendedorismo 0 1021

Com apenas 24 anos, a paulistana Bel Pesce é formada pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology) e abriu a sua própria empresa, após se aventurar em projetos da Microsoft e do Google

Qual jovem nunca sonhou em montar o próprio negócio? Mais do que um sonho, optar pelo empreendedorismo é uma atitude muito admirada pelos brasileiros. Mas qual é a fórmula certa para quem sonha em empreender? Com apenas 24 anos, a paulistana Bel Pesce parece ter essa resposta na ponta da língua. Graduou-se em Ciências da Computação, Matemática, Economia e Administração no Massachusetts Institute of Technology, o famoso MIT. Sem falar que seu currículo ostenta um mestrado profissional no Google e dois projetos dentro da Microsoft.

Sua história não é de sorte ou privilégio. Bel é um exemplo de determinação contra todas as probabilidades. Ao contrário de muitos jovens que se empenham durante meses para chegar à uma universidade norte-americana, Bel só descobriu sobre o programa do MIT para estrangeiros duas semanas antes do prazo. “Na época, o processo incluía mandar todo o histórico escolar, recomendações de professores, fazer uma prova de múltipla escolha chamada SAT (Scholastic Aptitude Test) e também fazer uma entrevista com um ex-aluno do MIT. Eu tinha perdido o prazo para essas duas últimas partes”, conta.

E com a missão de transformar o não em sim, Bel investiu todas as suas fichas nesse objetivo. “Sabia que as chances de dar certo eram pequenas, mas queria ter a consciência limpa de que tinha feito o meu melhor. Fiz duas coisas um tanto malucas: descobri o endereço de um ex-aluno do MIT e fui bater na sua porta sem saber o que me esperava. Depois, apareci na prova do SAT e implorei para fazer o exame, caso alguém faltasse. O destino mais uma vez ficou a meu favor e um assento ficou vago”, lembra. Para a surpresa de Bel, toda a loucura não foi em vão e, em março de 2006, ela recebeu uma carta dizendo que havia sido aceita.

Vivendo no Vale do Silício, o berço do empreendedorismo, Bel, hoje, dedica boa parte de seu tempo à sua startup, a Lemon. As startups são empresas jovens e inovadoras que buscam um modelo de negócio escalável e sustentável. “Eu sempre procurei oportunidades que tivessem o potencial de me acelerar e ao mesmo tempo me desafiar. Enquanto trabalhava na Ooyala, que era uma empresa menor, conheci um empreendedor sensacional, com vontade de começar uma nova empresa, então montamos a Lemon. Nosso primeiro serviço, um aplicativo para controle de gastos pessoais, registrou 400 mil downloads”.

No livro A Menina do Vale, Bel divide 18 lições que aprendeu no Vale do Silício e que mudaram a sua vida. “Os capítulos falam sobre o valor de ter iniciativa, a importância de fazer networking, a diferença que faz ter uma equipe boa, entre outros tópicos. Cito também cases de sucesso que mostram como o perfil empreendedor pode mudar uma vida”, revela. O livro está disponível gratuitamente para download no site.

Entre suas principais conquistas, Bel faturou diversos prêmios com seu trabalho. Na Microsoft, seu projeto Touchless foi premiado como o favorito de uma feira de inovações. Na Google, recebeu o prêmio Anita Borg, que tem a meta de aumentar a presença de mulheres na tecnologia e em posições de liderança, além de ter feito parte da Sandbox Network, uma comunidade de jovens inovadores notáveis ao redor do mundo. Para o futuro, Bel, que foi à mansão de Bill Gates e conversou com o papa do software, afirma que voltará ao Brasil e começará uma empresa aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas