Correr x Caminhar 0 786

Conheça os benefícios e as diferenças entre a corrida e a caminhada e descubra como cada uma delas pode ajudar a melhorar sua saúde

A corrida acelera o gasto energético e queima o dobro de calorias, mas a caminhada é mais eficiente para a queima de gorduras. Segundo profissionais da saúde, essa teoria é fisiologicamente comprovada. Então, qual exercício devemos escolher? “Na verdade, não há como dizer que uma modalidade é melhor do que a outra. A diferença está nos cuidados que cada uma exige, na intensidade, no tempo de execução, nos limites e objetivos particulares de cada indivíduo”, aponta o personal trainer e fisiologista Givanildo Matias.

A opção por correr ou caminhar depende, principalmente, das condições de quem vai praticar. “A caminhada é uma atividade que proporciona grandes benefícios, com baixo risco de incidência de lesões, e pode ser praticada por sedentários e iniciantes. Já a corrida, exige dos sistemas músculo-esquelético e cardiorrespiratório uma condição mais abrangente de pré-disposição para o exercício, pelo grande desgaste físico. Ou seja, para o indivíduo comum praticar a corrida, é necessário um padrão mínimo de condicionamento físico para que esta atividade seja saudável”, explica o fisiologista Rodrigo Chaves.

Em palavras simples, se considerarmos o mesmo tempo de atividade (uma hora), a caminhada queima em média 480 calorias energéticas, das quais 70% são de gordura, enquanto a corrida queima o dobro de calorias, das quais apenas 30% ou 40% são de gordura. Mas por que isso acontece? “O aspecto determinante é a intensidade do exercício. Conforme ela aumenta, diminui a contribuição da gordura como fonte de energia, que vai sendo substituída gradativamente pelos carboidratos. O gasto energético é maior, predominantemente pela queima de carboidratos, daí a importância do consumo dessa categoria de alimentos com frequência”, explica o fisiologista Carlos Vinicius Herdy. O carboidrato compõe uma fonte de calorias derivadas de amidos e açúcares que abastecem nossos músculos e cérebro. Devemos consumir 60% das calorias totais diárias em carboidratos encontrados em frutas, legumes, pães e grãos.

Para quem quer emagrecer, a corrida traz resultados mais rápidos, mas é preciso ter cuidado para não se cansar rapidamente e assim conseguir permanecer no mínimo 30 minutos naquela carga de esforço. Mas quem quer perder peso com saúde não deve se preocupar apenas com o tempo que vai levar para chegar aos resultados desejados. “Não se pode ter pressa para entrar em forma. Os bons resultados e o condicionamento físico surgem naturalmente, exigindo uma progressão contínua e gradual do desempenho do atleta”.

Portanto, embora traga resultados mais lentamente, caminhar continua sendo um ótimo exercício, até porque proporciona mais queima de gordura, o que é mais saudável do que a queima de carboidratos. “Caso não haja limitação de tempo, a grande maioria das pessoas que realiza caminhada pode, perfeitamente, fazê-la por uma hora, 1h30; porém, as pessoas que correm, dificilmente, conseguem manter essa atividade por tanto tempo”, diz Chaves. Sendo assim, é recomendável reduzir o ritmo para aumentar o tempo de atividade e a oxidação de gordura. Caso contrário, a chance de interromper o exercício precocemente aumenta de forma significativa.

AVALIAÇÃO FÍSICA E MÉDICA

Qualquer indivíduo, para iniciar ou manter uma atividade física, deve realizar checkup médico de manutenção, principalmente da pressão arterial e da frequência cardíaca, mesmo quando o exercício é aparentemente leve. “O ideal é procurar orientação para otimizar o cumprimento das metas estabelecidas. O personal trainer deve compreender o aluno e seus objetivos, adaptando um programa adequado a ele, após detalhada entrevista e cuidadosa avaliação física. O diagnóstico do médico permite ao profissional de educação física fazer esse planejamento com mais segurança”, esclarece Matias.

A avaliação física responde de forma objetiva e positiva qual das duas práticas suprirá melhor a necessidade do praticante. “O histórico do indivíduo e, especialmente, a sua atual condição física irão determinar qual atividade representará a melhor relação custo benefício, ou seja, qual atividade apresentará menor risco de lesões de ordem articular e cardiovascular, por exemplo, e o maior benefício de acordo com o objetivo pré–determinado, como redução de gordura corporal e melhora da saúde da máquina cardíaca”, afirma Chaves.

RECOMENDAÇÕES

Para quem já se decidiu pela caminhada ou pela corrida, os fisiologistas fazem as seguintes recomendações:

“É recomendado usar roupas leves e de cor neutra, que o indivíduo sinta-se confortável. A escolha da roupa e do tênis – para amortecer o impacto – é tão importante quanto o percurso que será realizado e o tempo de duração da atividade”, alerta Chaves;

“Nunca se exercite em jejum. Com esse hábito, a pessoa pode chegar a um quadro hipoglicêmico ou de pressão baixa, tendo a sensação de tontura ou desmaio. Recomendo, pelo menos, o consumo de uma fonte rica em carboidrato e proteína, sem, obviamente, alimentar-se em excesso”, sugere Matias;

“O alongamento é fundamental antes e depois da atividade. Antes serve para preparar o corpo humano para a atividade; após, auxilia no relaxamento da musculatura exigida no exercício. Não deixe de se aquecer nunca”, pontua Herdy;

“A hidratação é fundamental para que o exercício seja realizado de forma saudável. A cada 20 minutos de exercício, 200ml de qualquer bebida reidratante é recomendado. Em dias quentes e secos, pode-se aumentar o volume ingerido no mesmo intervalo de tempo”, aponta Chaves;

“A prática de exercícios matutinos, vespertinos ou noturnos depende da disponibilidade e da preferência individual. Mas é bom evitar horários quentes, como das 10 às 17 horas. E o ideal é escolher um terreno plano, se possível, com ar puro, e trabalhar num ritmo constante”, ressalta Matias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas