Visão sem limites 0 736

Com uma admirável determinação, Natanael Joaquim provou que o céu é a única barreira para vencer qualquer deficiência

O terceiro de sete filhos. Nascido na Vila Matilde, o intérprete Natanael Joaquim tem uma história de vida digna de uma sinopse de novela. As sérias dificuldades financeiras vividas na infância, o problema de alcoolismo do pai e nem mesmo a descoberta da toxoplasmose, doença que compromete gravemente a visão, foram empecilhos para este vencedor. 

A necessidade levou Natanael a ajudar a mãe Maria de Lurdes, com o sustento da casa, vendendo coxinhas e lanches na rua. Dotado de muita fé, o menino sonhava em vencer a dura batalha da vida. “Chegava a vender 600 salgados no período de três horas”, diz.

A Ladeira Porto Geral, no Centro de São Paulo, foi o onde surgiu o primeiro emprego e as grandes oportunidades. Como office-boy do cartório, Natanael tinha uma jornada dura e longa de três períodos, pois além do novo trabalho, se dedicava aos estudos e continuava a ajudar a mãe, que trabalhava em uma cantina de escola.

Aos 14 anos, o convite de uma amiga para prestar concurso em um importante banco da cidade prometia mudar o destino que até então o perseguia. “Apesar de ter pouca instrução escolar, o esforço me levou à etapa final de 300 vagas, disputadas por três mil candidatos. Eu estava muito feliz, porém o resultado do exame médico quase colocou tudo a perder”, explica. Os oftalmologistas da seleção do banco identificaram que a toxoplasmose era de nascença e pelo tempo já passado seria difícil qualquer operação, porém se impressionaram com a capacidade de ler e escrever dele, mesmo com 10% da visão, e o aprovaram.

ANTES E DEPOIS DE BILLY PAUL

Logo, foram os primeiros dias de trabalho, que se consolidaram por 14 anos e trouxeram muitos benefícios e vitórias para a vida do rapaz. A oportunidade de carreira na empresa se expandiu com o passar do tempo, até chegar à área de produção e marketing. Na mesma época, uma bolsa de estudos no Colégio São Judas Tadeu, na Mooca, permitiu a formação como técnico de publicidade. “O banco buscava parcerias em eventos e shows, então tive muito contato com o meio artístico e conheci pessoas fundamentais, como a Marília Pêra” relata.

O contrato de seis meses como assessor da atriz da peça ‘Elas por Elas’ foi o começo de uma série de relações com personalidades como Billy Paul. “Em uma entrevista coletiva ele notou minha dificuldade, se sensibilizou e falou para que eu fosse para os EUA, pois fazia questão que o médico dele me tratasse. Não conseguia acreditar, era muita emoção”, acrescenta. O próximo passo seria conseguir a passagem. Para isso, Natanael se candidatou a participar de uma gincana em um programa de televisão, cujo prêmio era uma passagem para onde o ganhador quisesse e novamente a sorte mostrou-se estar ao seu lado.

Com uma licença sem tempo determinado no trabalho, ele foi até o médico do cantor. O diagnóstico não foi muito otimista, já que só existiam testes para a cura da toxoplasmose. Ao invés de se desanimar, Natanael decidiu agradecer a Billy Paul, estudando inglês em Nove Iorque, para ser interprete do cantor no Brasil.

SUCESSO MERECIDO

Três anos depois, o sonho se realizou. “Retornei à casa da minha mãe, porém, o fato de aprender inglês me permitiu crescer muito profissionalmente e abrir uma escola de conversação, no Tatuapé”, conta. A participação nos programas de televisão o encorajou a escrever o livro “Sem sacrifício não se alcança nada”.

Adriane Galisteu, Sônia Abrão e Fat Family são algumas das personalidades que apadrinharam o projeto, lançado em 2003 no Brasil e com versão em inglês. Dudu Braga, filho de Roberto Carlos, também colaborou com os sonhos de Natanael em parceria com o Instituto Laramara, preparando a versão em áudio do livro, destinado a deficientes visuais, que foi lançado em abril no Teatro Bibi Ferreira, com colaboração de Iran Ravache e Tuto Mazza.

EXEMPLO DE VIDA

Como forma de espalhar seus conhecimentos e lições de vida, Natanael deu aulas de inglês aos detentos da extinta Febem do Belém, mesmo com resistência da diretoria. “O trabalho foi interrompido apenas por problemas internos na penitenciária, porém retomei as atividades sociais na ONG do ex-lutador Adilson Maguila”, cita.

Depois de ser personagem do programa de Luciana Gimenez, começou a fazer palestras da sua história de vida pelo Brasil, arrecadando alimentos para doação. Entrevistado pela americana Oprah Winfrey, Natanael ganhou tamanha repercussão que, seu próximo passo é produzir seu próprio filme “Enxergando no escuro”, com o apoio do cineasta Renato Pimentel e do roteirista Donizete Morbidelli. 

A fé, a coragem e o esforço de Natanael Joaquim são verdadeiros exemplos a serem seguidos e, hoje, mesmo ainda correndo riscos de ficar cego da noite para o dia, ele continua o tratamento e a vida com uma visão sem limites de esperança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As + Acessadas